7 Sinais de que você precisa consultar um dentista

7/01/2015 às 09h01

O organismo humano funciona como uma orquestra: cada instrumento dando seu tom, assim são os órgãos do corpo.  E quando a orquestra desafina ou algum instrumento deixa de produzir seu som, todo o conjunto pode ser afetado. Quando a saúde bucal não está em harmonia com a saúde geral pode causar desconforto e comprometer a defesa do organismo. 

Os problemas orais e infecções na boca podem afetar o bem-estar do corpo inteiro. Prevenir é o melhor remédio para se evitar essas doenças e existem 7 sinais que não devem ser ignorados e indicam que já passou da hora de você ir ao dentista.

A boa notícia é que é possível restabelecer a saúde bucal mesmo depois que a doença já esteja instalada.  

1 – Dor de dente: A dor de dente é considerada uma das piores dores que existem, costuma ser tão pouco suportada, que algumas pessoas não conseguem prestar atenção em mais nada. A dor de dente é uma inflamação e ocasiona distúrbios diversos.  A cárie é a causa mais comum da dor de dente, que aumenta à medida que o nervo do dente fica mais exposto.

2 – Sangramento: O sangramento deve ser investigado se persistir por mais de dois ou três dias e, se não regredir espontaneamente, pode evoluir para uma doença mais grave e persistente.   O problema pode ocorrer se a pessoa escovar os dentes com força exagerada, mas as principais causas são gengivite, traumas, distúrbios hemorrágicos, doenças como leucemias e prótese móveis mal adaptadas.

3 – Feridas – Podem ter várias causas: Desde as mais simples, como quando se morde acidentalmente a parte interna da boca ou os lábios, também se passando a língua em um dente quebrado ou restauração fraturada e nas aftas ou herpes labial, até as que implicam em uma investigação complexa no sentido de excluir uma lesão maligna, que é o caso de infecções por bactérias, vírus ou fungos e das leucoplasias. 

4 – Sensibilidade nos dentes: É a dor causada pela exposição dos tubos dentinários. Bebidas quentes ou geladas podem causar dor em pessoas com dentes hipersensíveis. Isso pode ser resultado de cáries dentárias, dentes fraturados, esmalte desgastado, doenças na gengiva ou raiz exposta. Geralmente pode ser tratada levando em conta a causa do problema e o grau de sensibilidade.

5 - Dor na mastigação: As causas podem ser multifatoriais e existem fatores predisponentes, os que iniciam o processo e outros responsáveis por sua manutenção. Se for persistente, a recomendação é que o paciente procure um cirurgião-dentista o mais rápido possível para obter o diagnóstico correto. Esse tipo de sintoma pode estar associado a doenças como sinusite, artrite, gengivite, bruxismo ou, ainda, a uma disfunção da articulação temporomandibular. E o tratamento varia de acordo com o tipo de patologia que se apresenta a doença.

6 – Perda dentária: - Sabe-se que a condição social, além da cárie e doença periodontal são responsáveis pela maioria das perdas dentárias.  Se a ausência dentária não é visível, muitas, ou a maioria das pessoas, protelam a procura por dentista. É necessário dizer que estas perdas dentárias interferem na saúde bucal e geral do corpo. Por afetar a qualidade de vida, é crescente o interesse pela perda dentária, sob aspectos físicos, funcionais, sociais e psicológicos. Ressalta-se a importância da reabilitação oral. Atualmente, a odontologia oferece muitas soluções reabilitadoras. Há próteses que copiam com perfeição a estrutura dentária e implantes.

7 – Halitose: - As causas mais comuns do mau hálito são de origem bucal. Dentre elas, a língua saburrosa e as doenças da gengiva quando não tratadas. Em geral, os portadores do problema não percebem que sofrem de mau hálito. O diagnostico é obtido por meio de anamnese e exame clinico através de uma consulta odontológica. É importante lembrar que antissépticos bucais não são capazes para tratar o problema, apenas promovem alivio temporário. Portanto fazendo-se necessário uma visita ao dentista.