Chocante! Uso de álcool via OB em orifícios corporais

31/05/2017 às 03h05
fonte e imagem internet

Sim, estou falando sobre aquele absorvente interno feminino!!

Também fiquei boquiaberta meus leitores, por conta disso resolvi fazer esse post. 

Pois é, infelizmente não se trata de uma brincadeira, mas de um assunto sério e preocupante.

Mas vamos lá que vou comentar porque muitos jovens tem recorrido a esse método para se embebedarem através da absorção do álcool pelos orifícios corporais. 

O lance é bem simples: consiste em encharcar o OB (absorvente interno feminino) com bebida e depois introduzirem na vagina ou no ânus. 

Segundo os especialistas, esses jovens tentam disfarçar o odor característico da bebida (pois muitos vivem ainda em companhia de seus pais), evitar dores gástricas, evitar o consumo de calorias dos destilados e de se embriagar mais facilmente através da absorção pela mucosa da vagina e do ânus que estão mais expostas a terminações nervosas que absorvem mais rapidamente o álcool. 

Relacionados diretamente e indiretamente com: a baixa autoestima; prazer imediato; despreocupação com a própria saúde; comportamento de risco; fuga da realidade. 

Os riscos para quem ingere álcool desta maneira são exatamente os mesmos do método convencional, o corpo irá absorver do mesmo jeito. 

Por não passar pelo estômago, a bebida inserida via anal ou vaginal, não vai provocar vômitos. Vomitar é uma resposta positiva do organismo para expelir o que faz mal. No entanto, nestes casos de consumo por outras vias, as substâncias vão ficar ali até serem completamente absorvidas. Imagine que uma taça de vinho demora uma hora ou duas para ser processado, o consumo pela mucosa leva minutos, explica o Dr Arnaldo Lichtenstein, clínico geral do Hospital das Clínicas. 

Além disso, essas práticas podem causar muitos problemas de saúde para o organismo a curto, médio e longo prazo. 

Realmente soa como algo bizarro e agressivo a ingestão de álcool por vias anal, vaginal e até pingar na mucosa dos olhos (o que é de arrepiar).

Como é triste constatar o tamanho imediatismo dos jovens em algo tão prejudicial para a sua vida, na desenfreada busca por sensações que extrapolam o bom senso de cada ser humano. 

Conforme os especialistas, estas práticas não muito comuns e que acontecem a bastante tempo ao redor do mundo, geram um abusivo aumento do consumo de álcool entre jovens. 

É importante lembrar que o álcool é uma droga e a banalização do álcool é cada vez maior e preocupante. 

Que os jovens não esqueçam que somos livres em nossas escolhas, mas escravos das consequências e a vida é uma dádiva de Deus que tem que ser bem cuidada!!