Envelhecer, qualidade de vida e boa saúde bucal na 3ª idade

10/12/2014 às 04h12

Envelhecer é um processo biológico e natural devido às mudanças fisiopatológicas e a soma de todas as modificações que ocorrem na vida de um ser humano. O envelhecimento aumenta a vulnerabilidade para várias doenças bucais.

Muitos problemas odontológicos encontrados, na realidade, são complicações de enfermidades acumuladas durante a vida do indivíduo, devido à higiene bucal deficiente, falta de orientação e de interesse em sua saúde bucal e ao não acesso aos serviços de assistência odontológica. 

Sendo uma etapa da vida, o envelhecimento torna-se irrevogável como condição natural do ser humano, do nascimento, do crescimento pleno de evoluir e morrer. Mas para que se possa envelhecer com boa qualidade de vida e com boa saúde é fundamental a prevenção.

Prevenir significa impedir, não deixar acontecer algo, ou diminuir o risco de tal acontecimento.

A prevenção tem o objetivo de manter o corpo e a mente ausentes de doenças e enfermidades e proporcionar um envelhecimento saudável.  É importante afirmar que a manutenção da saúde oral é fundamental para uma boa saúde geral do indivíduo, não somente na terceira idade, mas em qualquer fase da vida, como qualidade de boa saúde.

E uma boa saúde começa pela boca e isso depende de toda transformação ocorrida ao longo dos anos, pois é o reflexo de toda uma história de vida.

Infelizmente a saúde bucal da maioria dos idosos apresenta um nível muito precário, pois o envelhecimento se mostra um desafio para o mundo atual, que afeta tanto os países ricos quanto os pobres, sendo um fenômeno global e, ao mesmo tempo local.

Envelhecer e manter uma boa qualidade de vida com uma boa saúde geral e oral, ainda são os grandes desafios para a terceira idade.

Torna-se um fato triste quando um indivíduo perde os dentes, promovendo um efeito negativo em diversas funções do corpo, uma vez que a condição bucal, em última instancia, influencia diretamente na qualidade de vida por definir sua capacidade de mastigação, nutrição, fonética e de socialização. Também podendo causar doenças geriátricas sistêmicas, como as que mais incidem nos idosos que são: arteriosclerose, anemias, diabetes e distúrbios gastrointestinais.

Dentre as doenças bucais, as que mais geram desconforto, dor, sofrimento, frustrações sociais e que afetam em muito a qualidade de vida na maioria dos indivíduos na terceira idade são: Edentulismo (falta de dentes), Periodontopatias  ( doenças de gengiva), cáries, desgastes dentais entre outros problemas. E isto tudo reflete em uma péssima qualidade de vida, que irá prejudicar o processo de envelhecimento.

É importante ressaltar que as doenças bucais são passiveis de se evitar através da prevenção, com uma adequada higienização, escovação correta, uso do fio ou fita dental, creme dental com flúor e enxaguatórios.  Como também por meios de exames preventivos, visitando o Cirurgião-Dentista no mínimo de 6 em 6 meses para verificar a presença de cáries, de dentes desgastados, presença de tártaro e etc, e   procurando fazer uma boa alimentação e evitando açúcar em excesso.

Neste contexto, o processo de envelhecimento é um fato. Enfim realizar a prevenção na terceira idade é fundamental para ter uma saúde bucal/geral e qualidade de vida em todos os sentidos.