Fase adulta x Alimentação saudável

9/04/2017 às 09h04
fonte e imagem internet

É meus amigos e leitores, é nessa fase que começam as dores aqui e acolá, como diz o povo: a idade do “condor” chegou. O estresse, os probleminhas diários da vida e consequentemente a saúde decaindo. Porém, se existir todo um cuidado com a alimentação desde a infância, esse risco diminuem. 

Além disso, as metas da fase adulta são manter o peso ideal, cuidar da pele, evitar a queda de cabelo, ter um bom sistema imunológico e uma grande quantidade de energia para aguentar o pique e a correria do dia-dia. 

A alimentação tem um papel fundamental na qualidade de vida, porém o consumo excessivo de alimentos ricos em gorduras trans, sódio e açúcares podem provocar problemas de saúde. Contudo, não há alimentos maus, apenas má alimentação. Não é necessário deixar de comer determinados alimentos para ter uma alimentação saudável, apenas fazer a combinação certa de alimentos, na quantidade adequada e adotar algumas regras na agenda de cada dia. 

Agora veja as dicas dos especialistas:

1. Um pequeno almoço pela manhã – a primeira refeição deve incluir cereais, leite meio gordo ou magro e frutas;

2. Durante o dia fazer de 4 a 5 refeições – fazer pequenos lanches com fruta, iogurte acompanhados ou não de cereais, algumas nozes ou sementes de girassol. Não ficar mais do que 3hs sem comer para evitar comer demais à hora das principais refeições e acumular muita gordura.

3. Ingerir pelo menos 3 frutas por dia mais 2 porções de hortículas;

4. Hidratar-se sempre – a ingestão de líquido, na quantidade certa, previne o cansaço e a fadiga, ajuda a eliminar toxinas, mantém as células saudáveis e melhora a aparência e a textura da pele. A água ajuda ainda a transportar algumas vitaminas hidrossolúveis como a vitamina B1, B2, B6, B12, e a vitamina C;

5. Comer peixe e carnes brancas – importantes fontes de proteínas;

6. Redução da quantidade de açúcar;

7. Dê sempre preferência ao azeite – substituir gorduras saturadas por gorduras insaturadas na alimentação contribui para a manutenção de níveis normais de colesterol no sangue;

8. Reduzir o consumo do sal, substituindo-o por ervas aromáticas;

9. Ingerir alimentos ricos em fibras;

10. Siga a alimentação mais natural possível;

11. Saboreie o que come – experimente a velha máxima: “saboreie o que come e coma o que lhe dá prazer, e quando parar de sentir prazer, pare de comer”.

Uma boa alimentação pode fazer toda a diferença e melhorar significativamente seu bem-estar, porém nunca se esqueça de procurar um profissional para lhe orientar de acordo com sua necessidade.