Neste carnaval, cuidado com o beijo de Judas

27/02/2017 às 12h02
fonte e imagem internet

Todos sonhamos com um beijo na boca. Aquele beijo romântico e gostoso que deixa nosso corpo quente, borboletas saindo do estômago e que acelera os batimentos cardíacos instantaneamente. Podendo saltar de 70 para 150 batimentos por minuto. Beijar na boca acalma, alivia o estresSe, diminui a insônia e alivia a dor de cabeça. Beijar na boca emagrece sim, podendo perder até 12 calorias em um único beijo. 

Mesmo com tantos benefícios, beijar também tem lá suas desvantagens e muito mais quando se beija muitos parceiros, e principalmente aqueles em questão que não tem como hábito escovar os dentes. É que algumas doenças são transmitidas justamente pela boca e saliva, portanto, as chances de quem beija muito e muitas pessoas diferentes de ser infectado são maiores.

 Atualmente virou moda e nossa sociedade aceita normalmente, o hábito de ‘ficar’ no qual se pode estar junto ou beijar na boca quantas pessoas se quiser, geralmente em festas ou baladas aproveitando o clima de paquera, mesmo que estas pessoas sejam desconhecidas. Porém, o hábito de beijar na boca visto como inocente e inofensivo, trás o perigo de transmissão de várias doenças, inclusive as sexualmente transmissíveis (DSTs). 

Os jovens e pessoas desinformadas, incentivados pelo modismo atual, desconhecem os perigos dos beijos trocados indiscriminadamente. Beijar na boca pode ser muito gostoso, mas é importante dizer que existem fatores desfavoráveis e que se corre o risco de contrair doenças graves e sérias colocando assim sua saúde em perigo. 

Vale lembrar que algumas pessoas acham que certas DSTs são transmitidas somente pelo sexo, ledo engano, pode-se contrair inúmeras doenças bacterianas e virais num simples e gostoso beijo, sendo a cavidade bucal considerada um reservatório de bactérias e vírus.

Dependendo da higiene bucal que se realiza diariamente, essas bactérias podem proliferar de forma descontrolada, e chegar até a corrente sanguínea, comprometendo de forma grave o indivíduo.        

Já imaginou o que você ganha beijando tantas bocas diferentes?

Na boca existem mais de 300 tipos diferentes de bactérias. Em apenas um milímetro de saliva existem 150 milhões de bactérias, muitas delas causadoras de doenças.

A boca é a porta de entrada de contágio para infecções e doenças, que incluem desde transmissão de bactérias envolvidas na cárie, às transmitidas por vírus, dentre eles, os do herpes, do papiloma vírus humano (HPV) e a mononucleose conhecida como a ‘Doença do Beijo’. Esta última, considerada a mais comum, é causada por um vírus que se aloja na região da amígdala. Sendo seus principais sintomas confundidos com uma virose qualquer, com febre alta, dor de garganta, de cabeça, dores musculares e ínguas. A monocleose não é uma doença que dura apenas dois ou três dias, os sintomas podem durar até três semanas. Como não existe vacina, a opção de tratamento é combater os sintomas com analgésico, antitérmicos e antiinflamatórios e assim por diante. Este vírus se desativa sozinho, mas a partir do momento que o corpo adquire, ele nunca mais sai do organismo. Nos ataques seguintes da doença, os sintomas serão mais leves e brandos.

Como não é possível saber se o parceiro que vai beijar tem o vírus, a melhor opção é ter cuidado. Pois a confirmação da Doença do Beijo só é possível através de exames laboratoriais.

Em geral, quem desenvolve a Doença do Beijo não se recorda de quem contraiu e a própria pessoa que transmitiu o vírus sequer imagina que possa estar contaminando outros parceiros. 

Como é impossível, na hora do beijo, examinar a boca a ser beijada, devem os parceiros manter a boca limpa, com uma cuidadosa higienização, a fim de diminuir a proliferação de bactérias e assim reduzir o risco de contrair doenças.

Ficou preocupado em não poder beijar mais?  Tenha calma!

Beijar é muito bom, gostoso e saudável. Trocar fluidos com uma só pessoa que cuida bem de seus dentes e boca não oferece perigo. Além de ser muito mais romântico!

A melhor prevenção é evitar os excessos. Lembre-se que as aparências enganam e não temos como saber se o parceiro que mal conhecemos é saudável.

Portanto, aproveite para beijar muitoooo com responsabilidade e conhecimento. Preserve sua saúde e evite o “Beijo de Judas!”. 

Procure periodicamente seu cirurgião-dentista.